Post com trilha sonora, aumente o som!

Em alguns momentos da vida, a vontade é de sumir.  Sabe quando tudo parece dar errado? Falta de motivação no emprego, a carreira que você escolheu que não era bem o que você esperava, casamento desmoronando, aquele cara fofo do Tinder que sumiu, crise econômica, política, crise dos 30, vontade de começar tudo de novo.

Motivos para querer sumir podem ser muitos, das mais variadas razões, o que faltam são as soluções.

Para isso, trouxemos algumas sugestões e ideias para quem quer fugir.

Alugar uma casa em Bali (ou nas Filipinas, Tailândia, Sri Lanka…) e passar alguns meses na praia curtindo a vida, regado a água de coco.

Opa, peraí, mas para isso eu preciso ser muito rico!

Não, não, pode parecer pegadinha, mas Bali, assim como outras localidades paradisíacas do sudeste asiático, tem o custo de vida muito mais baixo que as principais cidades brasileiras.  Com o custo de um mês em São Paulo (some aluguel, internet, condomínio, IPTU, telefone, luz, transporte, cinema no final de semana, baladinha), é possível passar uns 4 meses em Bali, com conforto. E, uma temporada longa em um destino distante vai ser proporcionalmente mais barato que uma viagem mais curta, já que a passagem aérea será o item mais caro. Óbvio que não estamos falando aqui em passar meses em hotéis cheios de mordomias, a proposta é alugar uma casa e cozinhar durante a sua estadia, o que  reduz bastante os custos.

Vamos fugir
Sites como o AirBnb auxiliam a encontrar casas ao redor do mundo.

E o dinheiro economizado pode pagar aquela incrível massagem balinesa que você vai querer fazer todos os dias. Afirmo por experiência própria, eu passei 15 dias em Bali e fazia umas 2 massagens por dia, pela bagatela de uns 5 dólares cada uma.

Não consegue processar a ideia de férias prolongadas? Acha que vai ser um tédio? Associe a viagem a um programa de yoga e meditação, existem vários programas com diferentes métodos e frequência.

Atravessar o mundo é muito assustador? Faça isso no Brasil mesmo, escolha uma praia no nordeste ou no litoral sul e passe uma temporada. Acredite, o mar tem propriedades curativas comprovadas.

Fazer um mochilão.

O mundo é enorme, né? África, Leste Europeu, América do Sul, Ásia, são tantos roteiros e combinações possíveis. E, ao contrário do que muitos afirmam, não é preciso um super investimento para isso, ferramentas como o Couchsurfing, AirBnb, Bla bla car, ajudam a reduzir o orçamento e você pode também optar por destinos mais baratos, ou equilibrar a escolha. O importante é pesquisar bastante os locais, o clima na época da sua viagem, vistos, vacinas e se jogar. Tenha um plano, que pode ter apenas um pontapé inicial ou estar todo amarradinho, questão de escolha, e um orçamento.  

Não tem companhia? Vários destinos são famosos entre os viajantes solo, hospede-se em hostels, faça walking tours, frequente fóruns de viajantes, use e abuse do wifi para se comunicar com os amigos e a solidão não irá te abater.

Não fala inglês e tem medo? Portugal está ai para resolver os seus problemas, destino incrível, preços razoáveis, uma escolha e tanto. E o nosso Brasil também atende o quesito de concentração de lugares magníficos por metro quadrado.

Fazer um intercâmbio.

Por que não associar a sua “fuga” ao aprendizado do francês, que você sonha há tempos? Ou estudar  espanhol, aperfeiçoar o inglês, fazer um curso de fotografia, uma pós graduação. Várias instituições oferecem bolsas de estudo, o que pode ser uma super ajuda financeira ou, se não for o caso, os cursos de idioma no exterior costumam ter valores bem acessíveis, e um excelente resultado em um curto prazo. É importante pesquisar bem as opções de países onde aquele idioma é falado para fazer a escolha adequada, dentro do seu orçamento.

A Espanha é uma opção cara por causa do Euro? A Argentina está aqui ao lado e oferece excelentes cursos de espanhol. Quer ousar um pouco? Tem o Equador, a Nicarágua, bem famosos entre os intercambistas. A escolha é o inglês? Malta tem lindas praias e preços bem mais baixos que a İnglaterra. Existem opções para todos os bolsos.

E se realmente o seu orçamento não for suficiente para bancar um curso, existem programas de Work + study, onde você pode trabalhar durante o curso, e levantar uma graninha para as suas despesas. É ainda uma excelente maneira de turbinar o seu aprendizado colocando em prática o que você aprende na escola.

House sitting.

Uma forma de hospedagem gratuita bem conhecida em países como İnglaterra, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e alguns países europeus. Consiste basicamente em cuidar da casa e dos animais de estimação do proprietário enquanto eles estão viajando. Quem possui animais sabe o quão complicado é viajar e ter alguém de confiança para cuidar dos nossos amigos de quatro patas. É uma grande oportunidade para quem ama animais e quer economizar o dinheiro da hospedagem. Pesquise sites como o Trusted House sitters, Mind My House, House carers.

Trabalho em troca de hospedagem.

Existem alguns sites como o Helpx que oferecem oportunidades de trabalho em diversas áreas, e países. A maioria delas é de hostels que oferece acomodação, em troca de trabalho, e fazendas, em troca de ajuda na plantação e na colheita. O site ainda traz famílias que pedem serviços como babá, ensino de idiomas, algumas intervenções artísticas.  E existem várias ofertas no Brasil. Uma proposta bem diferente, mas certamente enriquecedora.

Trabalho voluntário.

Instituições como a Aiasec e a ActionAid organizam viagens onde o foco é prestar um serviço social. Existem diversas modalidades de voluntariado, como educação, cultura, saúde e programas com um viés ambiental. A maioria das oportunidades estão em países em desenvolvimento, na América do Sul, África, Ásia e pelo leste europeu e o princípio é contribuir com o seu conhecimento para melhorar a vida da comunidade local.

Ensinar inglês para crianças, ajudar na construção de uma escola, na manutenção de uma clínica de saúde, prestar apoio psicológico em situações de trauma pós guerra, cuidar de animais em um santuário, são inúmeras possibilidades, basta encontrar a que mais se encaixa no seu perfil.

Vamos fugir

Existem outras diversas instituições e redes que auxiliam nesse tipo de viagem, a ideia aqui foi elencar algumas opções para você saber que sim, é possível fugir e transformar aquele momento de tempestade pessoal em bonança.

 

Karina Ferraz

Karina Ferraz

Nasci no Rio de Janeiro, quis ser aeromoça, mas escolhi a arquitetura, paixão que me fez querer ver o mundo. Mundo esse que me levou até a Turquia, que resolvi chamar de casa e onde vivo há 3 anos. A arquitetura entrou de férias, surgiu a agente de viagens, que vive de organizar viagens para os outros e principalmente, para si mesma. Afinal, morar no centro do mundo faz tudo parecer mais perto.
Karina Ferraz

Últimos posts por Karina Ferraz (exibir todos)

Share This:

Vamos fugir!

Comentários

comentários

Classificado como: