Já falamos em outra oportunidade que nem sempre o orçamento e outros compromissos permitem uma viagem (se não leu, clique aqui). Porém, as fugidinhas são remédio certo para o momento em que o tédio das paredes domésticas acerta você de jeito.

Como amanhã será feriado em São Paulo (ok, feriado num sábado nem é muito feriado, mas está valendo! rs) trouxemos hoje 7 sugestões de programas para fazer na capital paulista.

As dicas valem para qualquer época do ano, para turistas e moradores, mas para quem estará em férias e não sairá da cidade, vale a pena pensar em turistar por aqui mesmo.

Tem filhos? Não é problema…

Estará sozinha? Não é problema…

Quer ir com amigos? Nós temos a solução!

Os programas que vamos indicar são possíveis de serem feitos com família (incluindo crianças), com amigos, com o crush ou até mesmo sozinha.

Preparados? Vamos lá…

Sábado: Feirinha da Liberdade e arredores

liberdade

Vamos começar viajando nesse bairro oriental de São Paulo. Todos os finais de semana rola a feirinha (sábados e domingos das 08h às 18h). Coloque um tênis ou outro sapato confortável no pé, desembarque na estação Liberdade do metrô (meio mais fácil, prático e indolor de chegar lá) e se divirta… As ruas ficam cheias, tomadas de pessoas e barraquinhas. Eu adoro perambular sem destino, praticar o people watching, entrar em todas as mercearias e fuçar nos produtos diferentes dos que consumo usualmente (mesmo sem entender uma vírgula do que está escrito na embalagem!) e comer.

Uma dica mulherzinha: a loja Ikesaki é o templo do consumo de cosméticos! Jesus me socorre porque quero sempre comprar tudo que tem lá dentro! Mesmo que você não vá comprar nada (sim, vende-se o mundo na feirinha e nas lojas) vá e sinta o clima local.

A hora que bater uma fominha você pode se deleitar com os famosos yakissobas e tempurás das barracas de rua (que ficam lotadas!) ou testar a sorte num restaurante cujo cardápio muitas vezes é um enigma… Para as pessoas que preferem ser mais “tradicionais” e arriscar menos, a Galeria SoGo Plaza (na rua Galvão Bueno, a caminho do viaduto) tem um restaurante selfservice – Cia Oriental – bem bacaninha. Na entrada da Galeria costuma ter um funcionário que te dá um flyer que oferece desconto de 10% (se não erro é isso) no prato. O bom do Cia Oriental é que tem comida para todos os gostos. Para quem não é adepto de comida oriental, é uma boa oportunidade de experimentar, pois pode pegar só um pouquinho e colocar no prato. O ambiente é simples, mas a comida é bem gostosa e fresquinha. Dica: experimente a limonada com gengibre e não deixe de pegar a cortesia da cumbuca de missoshiro e a fatia de melancia de sobremesa! rs

Passeie um pouco mais, conheça o Jardim Oriental (bem pertinho do So Go Plaza) e se no seu estômago ainda couber algo mais, vá na Rua dos Estudantes e conheça a padaria Bakeri Itiriki. Aquele lugar é tentação do demônio para quem estiver fazendo dieta. Se você quiser abrir mão do doce (os de lá são excelentes, mas doces existem em vários lugares, né?), prove o suco pobá de inhame com leite. Inhame com leite?! Não, não menospreze… Além de gostoso ele é bem bonitinho, todo lilás com bolinhas pretas… Dica: não experimente de outros lugares do bairro e nem os outros sabores da própria padaria porque não são gostosos como o “original”.

Domingo: Avenida Paulista

paulista
Fonte: http://noticias.uol.com.br

Agora é oficial, a Avenida Paulista ficará fechada para carros aos domingos, tornando-se uma “Rua Aberta”, como um espaço livre ao lazer. As opções de diversão ali são tantas, que você vai precisar de vários dias (ou de uma incrível disposição) para fazer tudo: dá para andar de bicicleta, de skate, para caminhar de mãos dadas, participar de vários movimentos de grupos que aproveitam esse dia para divulgar suas ideias e ideais.

Fora da rua em si, nos espaços, tem muuuuuita diversão: tem cinema (o Reserva Cultural costuma ter uma seleção boa e diferenciada de filmes e tem um café / bistrot bem gostosinho), tem o Parque Trianon, tem Museu (MASP, Casa das Rosas e Itaú Cultural, além de eventuais exposições em outros espaços e galerias da região), tem feirinha de antiguidades no vão do MASP, tem a livrariaFNAC e a super linda Livraria Cultura no Conjunto Nacional. Tem também o SESI / FIESP com o programa Domingo Paulista com uma programação diferente a cada domingo. Viu como tem muita coisa para fazer por lá?

A estação de metrô Trianon-Masp é mais centralizada da Paulista e fica bem na “porta” do MASP e do Parque Trianon. Desembarcando ali você consegue aproveitar o maior número de atrações listadas, e a distância até as outras estações é curta e fácil de ser percorrida.

Segunda-feira: Exposição Pequeno Príncipe e Circuito São Bento

pequeno-principe
Fonte: http://www.lpm-blog.com.br/

O Pequeno Príncipe é um personagem atemporal, não é? Quem não conhece pelo menos uma citação da obra e não se encanta com aquela pequena figura de cabelos meio despenteados? Pois então, o Mosteiro de São Bento abriga umaexposição literária do Pequeno Príncipe que começou por esses dias e vai até dia 31/07. Aproveitando a ida à exposição, dá para conhecer também essa igreja linda e assistir uma missa: de segunda à sexta a missa das 7h tem canto gregoriano e órgão. Já às 17h, para se sentir voltando no tempo, a liturgia, além do canto gregoriano e do órgão, é feita em latim. Independente da religião de cada um, é uma bonita experiência, além do espaço que em si é maravilhoso!

E como os monges beneditinos são famosos pelos dotes culinários, visite apadaria do mosteiro e se delicie entre as opções de bolos e pães (não, não são baratos, mas são deliciosos!). Ah, a padaria, pelo menos até a última visita que fui, não tinha espaço para degustação no local, era apenas uma padaria de venda dos produtos para viagem.

Olhou os produtos da padaria e ficou com fome? Atravesse a praça e vá no Café Girondino, um dos mais tradicionais cafés de São Paulo. É uma delícia se sentar lá entre a mobília de madeira escura e ver a vida passar através das janelas forradas com delicadas cortinas brancas. É um charme!

Você também pode andar um pouquinho mais (uns 300 metros), em direção à Rua São Bento e se encantar com a Casa Mathilde, uma tradicional doceria portuguesa (mas que serve salgados também). Se quiser, ainda dá para dar uma esticadinha até o Patio do Colégio (a primeira construção da cidade de São Paulo) e até a Praça da Sé, para entrar e conhecer a Catedral.

Para chegar no Mosteiro São Bento e começar seu roteiro é super fácil: basta desembarcar na estação São Bento do metrô e já está “na porta”. Só observar a saída certa da estação que não tem erro

Terça-feira: Jardim Botânico

ninfeia

O Jardim Botânico é um dos espaços mais lindos da cidade! Demorei para conhecer, mas o dia que fui fiquei me perguntando porque mesmo tinha demorado tanto a ir… É um verdadeiro oásis urbano! Tem alamedas com palmeiras imperiais, tem museu botânico, tem estufa de plantas tropicais, tem jardim dos sentidos, trilha onde encontramos macacos bugios (sim, macacos em liberdade dentro da cidade!) e o belíssimo lago nas ninféias (não é o de Monet, mas é nosso e é lindo!).

Prepare um lanche, leve sua canga ou uma toalha e faça um piquenique no local. O ambiente pede que você curta tudo sem pressa, com todo carinho e contemplação que o espaço e você merecem. Deu preguiça de levar lanche para o piquenique? Não se preocupe. O espaço tem lanchonete e restaurante…

Apesar de ser “distante” do Centro, é possível ir de ônibus a partir diversas estações de metrô. Consulte no site da SPTRANS a melhor opção a partir do seu endereço e tome como referência, se necessário for, o Jardim Zoológico, vizinho desse espaço lindo!

Quarta-feira: Parque Villa Lobos

parque-villa-lobos
Fonte: http://parquevillalobos.sp.gov.br

Localizado na Zona Oeste de SP, o Parque Villa Lobos é mais um espaço para relaxar e desacelerar. Dá para alugar uma bicicleta e pedalar um pouco, dá para caminhar na trilha suspensa entre árvores e contemplar as belas orquídeas do Orquidário local (a estrutura é bem bonita e rende lindas fotos!). Se você se cansar, pode ir até a Biblioteca do Parque, que tem outras atividades além de uma sala de vídeo games. Num dos “cantinhos” do parque existe também o espaço Ouvillas, onde as caixas de som espalhadas pelo gramado reproduzem a obra do músico que dá nome ao parque, Heitor Villa Lobos. Bom para dar aquela relaxada junto à natureza e deixar o coração se aquietar com a música. Se bater a fome, o Shopping Villa Lobos está “coladinho” e oferece N opções para todos os gostos e bolsos.

O acesso ao parque pode ser feito através da estação da CPTM Villa Lobos – Jaguaré, com interligação a partir da estação Pinheiros do metrô.

Quinta-feira: Pinacoteca do Estado e arredores

pinacoteca

A Pinacoteca do Estado é sediada num prédio belíssimo, desenhado pelo famoso arquiteto Ramos de Azevedo, e é o mais antigo museu de São Paulo. Mas o espaço vai além do prédio bonito, tendo um rico acervo de arte. Coladinho ao prédio está o Parque Jardim da Luz, um espaço verde bem diferenciado, com várias esculturas espalhadas pelos jardins, mas que infelizmente hoje está um pouco mais judiado (mas ele não deve ser menosprezado). Do outro lado da rua avistamos a famosa e charmosa Estação da Luz, com sua estética vitoriana.

Nesse triângulo conseguimos perceber todo glamour da belle époque paulistana. É uma pena que hoje o café da Pinacoteca, de onde se avista o Jardim da Luz, tenha sido “gradeado”. Era uma delícia se sentar naquelas mesas (sem a proteção) e avistar as palmeiras imperiais do parque – embora a cerca não impeça essa visão, não é mais a mesma sensação de antes.

Quem tiver disposição, pode dar uma esticadinha até a Estação Júlio Prestes, outro prédio belíssimo ali pertinho. Dentro da Estação Júlio Prestes funciona aSala São Paulo (que está simplesmente entre as dez melhores salas de concerto do Mundo!) e você pode ainda tentar a visita monitorada, que é super interessante. Clique aqui e agende sua visita se tiver interesse (este mês não haverá visita monitorada nos dias 13 / 20 e 27).

Outra esticadinha possível de ser feita a partir da Pinacoteca é o tradicional restaurante grego Acrópoles. Nesse local de aparência simples, você vai até a cozinha para escolher seu prato. Experimente o Mussaká, é uma delícia!

Outras possibilidades na região são o Museu de Arte Sacra e o Memorial da Resistência, mas esse último eu não conheço para poder opinar.

Para acessar esse circuito basta desembarcar na estação Luz do metrô.

Sexta-feira: Parque Ibirapuera

21-01-2015 - São Paulo - Parque do Ibirapuera. Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas
Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas (07/07/2016)

O Parque Ibirapuera, o mais famoso da cidade tinha que constar da nossa listinha, né? Área verde, esculturas ao ar livre, lagos, museus, planetário, jardim japonês e muito mais. Aqui tem de tudo um pouco. É diversão garantida para todos os públicos durante o ano todo. Dispensa comentários!

Nesta sexta, dia 15, acontecerá um show gratuito no foyer do auditório. Maiores informações clique aqui.

Na hora da fome, dentro do Museu de Arte Moderna, um dos museus do parque, existe um restaurante bem charmoso, com a vista linda do Jardim das Esculturas. O preço não é dos mais econômicos, mas como a semana toda economizamos, podemos nos dar o prazer de pequenos luxos, não é mesmo?

Se não der para almoçar nesse restaurante, saiba que não faltam ambulantes pelo parque e você também pode procurar a sombra de uma árvore, estender sua canga / toalha e fazer um piquenique. É também uma delícia!

Nos arredores, mas fora do Parque, também tem a dica do Casa da Praia, com um cardápio bem variado e saboroso, contemplando também todos os gostos.

Chegar no Parque é possível num curto trajeto de ônibus a partir da praça da Sé (estação de metrô de mesmo nome) ou num caminho a pé a partir da estação de metrô Ana Rosa. Acesse o site da SPTRANS e veja o melhor itinerário a partir do seu endereço.

E agora, qual a desculpa que vai usar para não sair de casa, hein?

Divirta-se e sinta-se à vontade para voltar e compartilhar com a gente a experiência dos seus passeios. 😉

Daniela Nogueira

Daniela Nogueira

Sou educadora da rede pública, mas é nas viagens que me realizo. Esse bichinho sempre esteve comigo, mas precisou que um ex namorado o alimentasse e foi com ele que aprendi a “conhecer o mundo”. Como todo pé na bunda te empurra pra frente, foi nessa situação que comecei a viajar sozinha, e nunca mais parei! Hoje já pisei nos cinco continentes e fiz roteiros que antigamente eram impensáveis. Os planos para o futuro? Dominar o mundo!
Daniela Nogueira

Últimos posts por Daniela Nogueira (exibir todos)

Share This:

São Paulo para todos: dicas de passeios BBB

Comentários

comentários

Classificado como: