O filme “Livre” não é novo – estreou em janeiro de 2015, mas ainda assim acho que vale como dica de filme sobre viagens. Quer dizer, assim como o filme “Na Natureza Selvagem” (tem post aqui), o foco  não é em si sobre a viagem, mas sobre os motivos que levaram a protagonista a cair na estrada.

filme Livre
Fonte: cinema10.com.br

A personagem – Cheryl Strayed – é uma mulher de 22 anos que decide sair da sua cidade e fazer uma trilha dificílima – com mais de 4 mil, km  que atravessa a fronteira dos EUA com o México até o Canadá. Os motivos que a levam a realizar esse percurso são muitos, e todos levavam a um desejo de transformação pessoal.

Mas o filme nos ensina algumas coisas e vou aqui compartilhar o que aprendi:

Escolha bem as suas “botas”

A personagem sofre ao caminhar com botas pequenas para seus pés. Em uma cena logo no início do filme, o par do calçado é jogado longe, num grito de libertação.

Analogamente, devemos escolher bem o que queremos “calçar” nos nossos caminhos. Que “sapatos” devemos vestir? Em que ritmo devemos caminhar? O que acontece quando caminho fora do meu ritmo e com um “sapato” impróprio?

Só descobrindo o nosso próprio ritmo e o calçado ideal é que o caminho será menos sofrido. Isso vale para a trilha do filme e para a vida.

Nesse sentido ainda, sem calçar os sapatos do outro, não conseguirei saber quais são suas fragilidades e dificuldades. Isso é empatia.

Cuide de sua carga

Também nas cenas iniciais do filme, a personagem consegue montar sua enorme mochila e ao tentar colocar a carga nas costas, cai com o peso.

Vamos pensar: que peso carregamos conosco na nossa bagagem pessoal? Está pesada demais?

O excesso de peso atrapalhará seu caminhar e pode até te derrubar. Seja leve!

O excesso de peso causa feridas

Se você insistir em carregar consigo uma carga superior ao que o seu corpo (físico e emocional) pode suportar, o resultado serão muitas feridas. Por isso, volte no item anterior!

O prazer das pequenas coisas

O que você gosta de fazer quando não está “caminhando”? As pequenas coisas podem ser prazerosas, basta prestar atenção… Não deixe para perceber e reconhecer esse prazer somente no seu período de dor.

O combustível errado

Não adianta, se o combustível do seu fogareiro estiver errado, seu alimento não poderá ser preparado.

Ainda no início do filme Cheryl percebe que levou para seu percurso um combustível errado para acender o fogo. Resultado: não conseguiu preparar seu alimento corretamente, e se não fosse o homem que encontra, poderia ter passado fome.

Então, além de se planejar, fique atenta com o que usa para acender o seu fogo pessoal. Use “combustíveis certos” e garanta sua nutrição.

Desapego

Aprenda a desapegar. Mesmo que você comece com uma carga superior ao que pode carregar, nunca é tarde para desapegar e se livrar do peso extra!

“Se sua coragem sumir, vá além de sua coragem”

Sobre a trilha:

Se você se animar bastante e ficar inspirado pelo filme, clique aqui para obter maiores informações sobre essa longa – e bela – trilha.

Daniela Nogueira

Daniela Nogueira

Sou educadora da rede pública, mas é nas viagens que me realizo. Esse bichinho sempre esteve comigo, mas precisou que um ex namorado o alimentasse e foi com ele que aprendi a “conhecer o mundo”. Como todo pé na bunda te empurra pra frente, foi nessa situação que comecei a viajar sozinha, e nunca mais parei! Hoje já pisei nos cinco continentes e fiz roteiros que antigamente eram impensáveis. Os planos para o futuro? Dominar o mundo!
Daniela Nogueira

Últimos posts por Daniela Nogueira (exibir todos)

Share This:

Filme “Livre”: coisas que aprendi assistindo

Comentários

comentários

Classificado como: