♫Ter um sonho todo azul, azul da cor do mar ♫

 A Riviera Maia é o nome dado à região do México que é banhada pelo mar do Caribe. A partir de 1999 o governo local começou a investir na região como pólo de turismo e deu tão certo, que nos últimos anos esse tem sido o destino mais procurado por turistas que visitam o país.

Estive na região em março deste ano, acompanhada de duas amigas e digo que me encantei com o que vi. O azul das águas é impressionante! Tão impressionante que o trecho da música do Tim Maia me acompanhou por todos os dias que lá estive… Cada lugar que visitamos tinha um tom de água mais lindo que outro e posso dizer que embora seja um “destino turístico clichê”, vale a pena colocar na sua lista sim!

 A cromoterapia diz o azul é uma cor relaxante. Então, se você está precisando relaxar, recomendo os seguintes lugares:

1. Cancún: dizem que é onde o mexicano fala inglês. É uma cidade americanizada e destino do spring break estadunidense. Para ser sincera, embora tenha um mar lindo, Cancún não me seduziu. A maior parte das praias pertence aos hotéis e a cidade fica cindida entre a zona hoteleira – onde estão os grandes resorts e hotéis de alto padrão – e o centro, onde fiquei. Fui em 3 praias públicas e somente uma tinha mar calmo e era boa para banho (por causa da correnteza muitas praias ficam “impróprias”). Para quem não está de carro, existem duas opções para chegar às praias: transporte público e táxi (dá para combinar a corrida com o taxista)

playa delfines
Playa Delfines – linda, com mar bravo e sem estrutura de restaurantes. Vale pela vista e pela foto com o letreiro.
playa chac mool
Playa Chac Mool – extensa, com grande rede hoteleira na beira-mar. A parte que visitei foi só para contemplação mesmo, pois o mar também era bravo.
playa tortugas
Playa Tortugas – uma grande piscina. Pequena e excelente para banho, fica ao lado de um dos píers de onde saem barcos para Isla Mujeres. Tem estrutura de restaurantes pé na areia, o que favorece a permanência do turista.

2. Cenote Suy Tun: Fica na Cidade de Valladolid. Apesar de não fazer parte da Riviera Maia (não é nem litoral), é um destino de muitos turistas que se hospedam em Cancún, numa visitação combinada com Chichén Itzá. Os cenotes, ao contrário do que o senso comum leva a pensar, não são sinônimo de água dentro de caverna. Existem muitos cenotes abertos, porque geologicamente falando, um cenote é uma cavidade natural resultado de um grande impacto, e Valladolid é uma cidade onde esse tipo de formação é bastante comum.

cenote suy tun
Locais sagrados para os maias, os cenotes eram os portais para o submundo. Esse está entre os dez cenotes mais bonitos da Península de Yucatán. É possível entrar na água.

3. Isla Mujeres: destino que também costuma ser casado com a visita a Cancún. Acesso fácil de barco a partir da Playa Tortugas ou do Centro. Muitos visitam a ilha apenas em um day tour. Para quem puder, recomendo ficar pelo menos uma noite. Achei o lugar bem charmosinho.

isla mujeres
Playa Norte – fica no centro e dá para ir caminhando até ela. É grande, com águas calmas e cristalinas. Tem vários restaurante à beira-mar que oferecem guarda-sol e espreguiçadeiras mediante pagamento. Mas se você andar um pouquinho mais, encontrará um pedaço de areia para chamar de seu à sombra de um coqueiro. E o melhor, sem pagar nada! 😉
punta sur
Punta Sur – para dar a volta na ilha e ir margeando esse mar incrível, pode-se alugar um carrinho de golf. A diária custa aproximadamente R$ 150.
garrafon de castilla
Garrafón de Castilla – primo pobre do Parque Garrafón. Tudo bem que não tem todas as atividades do primo rico, mas para quem quer só curtir a praia, para quê pagar USD$ 89 se você pode pagar MXN$ 60 (aproximadamente R$15!!!), sendo que o mar é exatamente o mesmo, né?!

4. Playa del Carmen: Assim como Cancún, Playa é uma cidade onde muitos se hospedam para fazer outros passeios na região. É uma cidade menor que Cancún, mas também bem importante para a região de Quintana Roo (Estado ao qual as cidades pertencem). Playa não tem o clima americanizado de sua vizinha (embora ainda receba muitos americanos) e me agradou mais ainda por causa disso, sendo uma cidade bem mais acolhedora. Aqui além de praias existe a rota dos cenotes e uma grande oferta de parques para day use (fui no Xel Há e recomendo muito!). Playa também está numa localização estratégica: perto de Tulum, de Cancún, de Cozumel e de Chichen Itzá.

portal maia
Esse é o “Portal Maia” e marca a praia do centro. Esse pedaço tem menos badalação e embora o mar estivesse com um pouco de algas (pouco mesmo), as águas eram calmas. A dica aqui é ficar em um restaurante de beira de praia e esperar o tempo passar. Ah, importante saber que os preços são bem mais atrativos que os de Cancún!

 5. Cozumel: é a segunda maior ilha mexicana em termos de população. A partir de Playa del Carmen partem barcos que te levam rapidamente até lá. A região ficou conhecida quando o oceanógrafo francês Jacques Cousteau declarou que ali era uma das áreas mais espetaculares para a prática do mergulho. Em Cozumel se localiza a segunda maior barreira de corais do mundo, perdendo apenas para a da Austrália. Ok, mas você assim como eu, você não pratica mergulho, e se pergunta se vale a pena conhecer a ilha? Eu respondo que sim!

cozumel
Para um day trip você pode alugar uma motinho como essa (para até duas pessoas, claro!) ou um carro como nós fizemos. Vale uma ressalva no aluguel de carro: eles não são baratos e não são novos. Garantida sua autonomia de locomoção você estará pronto para percorrer toda a ilha, parando de praia em praia, conhecendo todos os cantinhos que tiver vontade.
playa palancar
Playa Palancar – uma das poucas praias onde você não precisa “pagar day use”. Basta consumir alguma coisa e seu acesso está liberado. Uma coisa que realmente me incomodou em Cozumel é que as “melhores praias” são dos beach clubs que cobram day use a partir de USD$ 50. Eu, brasileira, moradora de um país com uma costa litorânea lindíssima, não concordo com a privatização desses espaços. Mas embora faça parte da cultura econômica local, como não concordo, eu não preciso pagar para usufruir…
cozumel 1
Circulando a ilha as paisagens são de cair o queixo. Olha só a cor desse mar! Pena que essa praia estava com bandeira vermelha (indicativo de perigo no mar pelas correntezas) e nem pude ter o gostinho de aproveitar…

6. Tulum: Um sítio arqueológico lindo à beira mar. Era uma cidade amuralhada e a vista das ruínas combinadas com o mar é sensacional! Nós alugamos um carro para ir até lá, mas o acesso também pode se feito com ônibus a partir de Playa del Carmen.

tulum
Que vista encanta mais, o mar com as ruínas ao fundo ou as ruínas de pedra com o azul atrás? Não dá para saber… só sei que é lindo! O mar bem no pedaço das ruínas (sim, dá para descer e se jogar na água, embora a faixa de areia seja pequena e bem disputada) tem mais ondas. Já saindo das ruínas e caminhando um pouquinho mais, chegamos numa continuação de praia onde o mar vira piscina de novo (adooooro mar sem ondas!)

7. Cenote Azul: um cenote aberto, bem diferente do Suy Tun. Vale a pena visitar no fim do dia, quando o sol incide sobre as águas e deixa tudo mais bonito. Fica no caminho para Tulum e recomendo combinar os dois no mesmo dia.

cenote azul
Esse é um dos cenotes mais populares da região, e como a entrada tem baixo custo, é muito frequentado pelos próprios mexicanos. No dia que estive lá não vi turistas estrangeiros.

Experimente e deixe o azul te seduzir… Como diz outra canção, “o amor é azulzinho” e eu voltei assim, apaixonada por tudo isso!


Como cheguei na Riviera Maia: A partir da Cidade do México, voei até Cancún, que é praticamente a entrada oficial da Riviera Maia. Há também o aeroporto de Cozumel, mas é menos usado.

Dicas:

* Faça o câmbio de moeda na Cidade do México. O câmbio na região litorânea é bem menos favorecido para o turista.

* Leve aqueles sapatinhos de neoprene com você. Algumas praias tem muitas pedras que dificultarão sua entrada no mar.

* Não esqueça do protetor solar e do chapéu. O sol na região é impiedoso!

* Experimente a Chelada, uma mistura de cerveja com gelo, limão e sal. Vença seu preconceito da cerveja com gelo e descubra um drink bem refrescante para o calor da praia.

Daniela Nogueira

Daniela Nogueira

Sou educadora da rede pública, mas é nas viagens que me realizo. Esse bichinho sempre esteve comigo, mas precisou que um ex namorado o alimentasse e foi com ele que aprendi a “conhecer o mundo”. Como todo pé na bunda te empurra pra frente, foi nessa situação que comecei a viajar sozinha, e nunca mais parei! Hoje já pisei nos cinco continentes e fiz roteiros que antigamente eram impensáveis. Os planos para o futuro? Dominar o mundo!
Daniela Nogueira

Últimos posts por Daniela Nogueira (exibir todos)

Share This:

A Riviera Maia é azul!

Comentários

comentários

Classificado como: